Uma prova de liderança para tudo: resultados nacionais e esportivos

sFaltam provas, este Sporting é candidato ao título, seja o que for Robin Amorim não quer admitir. Os Leões já foram testados de várias maneiras TempoMas não era o mesmo que na Madeira, e subiram de novo ao topo.

Os líderes da Primeira Liga mostraram uma “garra” firme e derrotaram o Nacional por 2 a 0, sob condições climáticas (muito) adversas e grama digna desse nome.

Filomena sentiu-se estagnado no Funchal e, embora os efeitos não tenham sido tão fortes como na véspera (quando o jogo foi adiado), foi mais do que suficiente para transformar o estádio numa verdadeira lama.

Ambas as equipes tiveram dificuldade em se adaptar a esta realidade, que “travou” as bolas que seguiam pelo solo e mudavam um caminho Daqueles que seguiram o céu, mas o verde e o branco conseguiram virar rapidamente.

Embora sem magia (algo, em tese, impossível nas circunstâncias), os visitantes dominaram o adversário, e foi justo que tivessem chegado à vantagem na entrada do intervalo, quando Nuno Santos, passe de Pedro Gonçalves, disparou pela rede.

Na segunda parte, o Nacional recebeu uma reacção tímida, mas a noite coube ao Sporting que, depois de dar dois avisos de Pedro Gonçalves, fez o golo à terceira tentativa, via John Cabral, que acaba de ingressar no Nuno Santos.

Com esta vitória, o Sporting soma 35 pontos e reforça a liderança isolada da La Liga, com os mesmos quatro pontos de vantagem sobre o Benfica e o Porto, que também conquistaram o título. Próprio Brinquedos. Já o Nacional permaneceu com 13 pontos e caiu para a 10ª colocação.

a forma

Com tal provação, o Sporting foi obrigado a ganhar os três pontos, e Pedro Gonçalves Ele era a personificação disso. O ex-Famalicão foi um dos mais populares infelizE, apesar de não estar contente no capítulo final, perseguiu o golo de Nuno Santos, que abriu caminho para uma vitória dos verdes e brancos.

READ  Uma explosão no apartamento de Braga destruiu três carros

Surpresa

Na entrada Andraz Germes A única mudança promovida foi o “Onze” por Robin Amoreim em relação ao encontro com Pilensis Sade e o internacional esloveno aproveitaram ao máximo. Infeliz no meio, caiu nas laterais, onde promoveu vários grupos com partidos de extremismo para desmontar o “muro” do Nacional.

desapontamento

Robin Mikael Ele tem a responsabilidade de ser “-NegadoVeio do meio-campo do Nacional, mas esteve longe de cumprir o que queria. O campo não ajudou, é claro, mas isso não justifica o número de passes falhados Estrelou Antes de ser substituído no primeiro semestre.

Trinadores

Louis Freire: colocar Robin Mikael Ao “polícia” João Palinha, que tentou condicionar a saída do Sporting do jogo, mas falhou miseravelmente na missão. No intervalo, o internacional português desistiu e substituiu-o Kinji Gori, O que aproxima o Nacional do gol do adversário, mas sem questionar a vitória do adversário.

Robin Amorim: O Sporting seria, pelo menos em teoria, a equipa mais difícil de enfrentar o tempo, mas acabou por ser a equipa mais adaptada. Merece o treinador do leão, que ainda estava “tirando um coelho da cartola” quando estava prestes a dar o apito final John Cabral, que acabaria assinando o gol do Calmo Verde e Branco.

Regra

Uma noite muito complicada Manuel MottaQuem teve que lidar com um jogo alegrePorque a grama estava causando trauma físico. ainda Regra Ele sabia administrar bem o jogo, tentando torná-lo mais suave, embora esta seja uma tarefa quase impossível.

Leia também: Amorim rende-se: “Estou muito orgulhoso por ser o treinador deste grupo”.

Written By
More from Ariana Yara

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *