O Benfica detecta 17 casos e não sabe se pode competir

O Benfica anunciou, terça-feira, que se registam 17 novos casos de Coronavirus entre jogadores, treinadores e staff do clube, podendo não jogar nas próximas duas semanas. A prévia da conferência agendada para este dia foi cancelada.

Informações sobre novas infecções foram divulgadas em A. Perceptível Postagem no site do Benfica, em que o clube revela ter pedido à Direcção-Geral da Saúde que se pronuncie sobre a possibilidade de prosseguir a competição. “Face a estes dados, e na defesa da saúde geral e integridade física dos atletas participantes, o Benfica remete para a decisão da Direcção-Geral do Desporto de se apresentar a prova nos próximos 14 dias”, informou.

Entretanto, o JN apurou, “Na sequência do número de casos detectados nas últimas verificações efectuadas no campus do Benfica, e com o intuito de restringir os contactos sociais no centro de treino”, o Benfica cancelou a conferência de imprensa marcada para as 14 horas, ante o jogo de amanhã frente ao Braga.

Os jornais noticiaram, nesta segunda-feira, vários casos de infecção de urubus, nomeadamente do avançado alemão Luca Waldschmidt, do treinador-adjunto João de Deus, Petra e Fernando Ferreira, e do treinador Luisau, acrescentando que os brasileiros Gilberto e Everton Sibollinha estavam isolados.

O calendário do Benfica para os próximos 14 dias inclui as meias-finais da Taça da Liga, frente ao Sporting de Braga, já quarta-feira, em Leiria, onde poderá ter de discordar sobre a final da competição no sábado, mas também os jogos em casa com o Nacional (15ª jornada da Primeira Liga) E o Belenensis SAD, pelos quartos-de-final da Taça de Portugal, e em visita ao Sporting (oitavas de final).

READ  31 novos casos de COVID-19 na Madeira - DNOTICIAS.PT

De acordo com o plano de recuperação do profissional de futebol, “os atletas e equipes técnicas de uma equipe em que foi identificado um caso positivo podem ser considerados em contato com um caso confirmado”.

“Porém, definir o estatuto positivo por si só não torna obrigatório o isolamento colectivo das equipas. Determinar o isolamento dos contactos (dos praticantes e demais stakeholders), individualmente, é da responsabilidade da autoridade de tutela. Saúde competente a nível regional”, acrescenta o mesmo documento da Liga Portuguesa de Futebol. Pé para Profissionais (LPFP).

Esse plano, que está em vigor desde 7 de setembro de 2020, estipula que todas as pessoas infectadas, tenham ou não sintomas, devem ser isoladas, “porque não podem participar de treinamentos e competições até que seja determinado o tratamento determinado pela autoridade regional de saúde competente”.

We will be happy to hear your thoughts

      Leave a reply

      Rede Piauí