Brixen – O jovem reverendo Gadertal e missionário comboniano Stefano Trevisan encontra-se agora em missão no Sudão do Sul. O Bispo da paróquia, Evo Moser, apresentou ontem a Trevisan a Cruz Missionária em uma cerimônia missionária na Igreja Joseph Freindemitz em Miland e se despediu dele.

Para Stefano Trevisan, a missão foi a etapa oficial final da missão. A estrada começou lá para Gadertal em 2009. Na época, Trevisan decidiu ir para o que hoje é o Sudão do Sul para um treinamento de três meses. Depois que o escritório da missão diocesana estabeleceu contatos com o missionário comboniano Irmão Eric Vichnaller, Trevisan trabalhou em Lumen, na fronteira com Uganda, em um projeto comboniano ali. Houve quem primeiro pensasse em ser missionário comboniano. Trevisan participou depois de encontros mensais em Pádua durante um ano que abordaram questões de fé e onde pôde conhecer melhor os Combonianos e os missionários. Quando sua condenação não foi interrompida após este ano, ele entrou na premissa. De 2010 a 2012 viveu em Pádua, onde estudou filosofia e recebeu uma introdução à teologia. Seguimento de novatos de 2012 a 2014: Stefano passou dois anos em Portugal, conhecendo noviços de toda a Europa e aprendendo português. Trevisan está desde 2014 em Scholastikat, o centro de formação de potenciais missionários combonianos em Nápoles. Lá ele estudou teologia na universidade. No castelo de Volturno, perto de Nápoles, o candidato a padre era ativo no trabalho pastoral com os imigrantes. Stefano Trevisan fez os votos permanentes em 21 de julho de 2019, em 28 de julho foi ordenado diácono em Pescopagano, perto de Nápoles, e em 28 de junho de 2020, Trevisan foi ordenado sacerdote pelo bispo Evo Moser na Catedral de Brixen.

READ  'Dor sofre transformação'

Na transmissão de ontem, Stefano Trevisan citou São José Freindimitz como parte de seu sermão com as palavras que pregou ao sair de casa: “O bom e insondável Divino Pastor me chamou para sair com ele ao deserto, para ajudá-lo a encontrar o ovelha perdida Beijo sua mão cheia de alegria e gratidão e digo com a escrita: Olha, estou indo! […] É difícil para mim – não posso negar – deixar meus queridos pais, tantos benfeitores e amigos generosos. Mas, no final das contas, o homem não existe para esta terra, mas para algo mais elevado; Não para aproveitar a vida, mas para trabalhar onde Deus o chama. Deshalb gehe ich in zuversichtlichem Vertrauen dorthin, wohin er mich ruft. “Bischof Muser sagte zu P. Stefano:„ Ich wünsche dir, dass dein Wirken als Miss geprägt ist vom Einsatz fürionar Gerechtigkeit Frieden und dieer inseguro em uma casa. Sempre deixe-se guiar com o coração aberto.

De: mk