Gargalos de parto atrapalham campanha brasileira de vacinação

Impfstraße no Rio de Janeiro / Photo Alliance, Fabio Teixeira

RIO DE JANEIRO – A campanha de vacinação contra a SARS-CoV-2 no Brasil foi paralisada devido a gargalos nas entregas. Em muitas cidades e regiões houve atrasos e, em alguns casos, as vacinações foram suspensas por completo. No Rio de Janeiro, o fornecimento de vacinas segue até o final da semana, anunciou a prefeitura. Se não houver renovação esta semana, as vacinações terão que ser suspensas.

O Rio de Janeiro é a segunda maior cidade do Brasil e tem o maior número de vítimas do país com quase 20.000 mortes devido à Corona. Duas cidades do estado com o mesmo nome, Niterói e São Gonçalo, tiveram que suspender a vacinação por vários dias nesta semana por falta de vacinas.

O mesmo destino se abateu sobre a cidade de Salvador, que tem uma população de cerca de três milhões. Lá, a vacinação dos profissionais de saúde foi interrompida por enquanto. Cidadãos entre 80 e 84 anos, que já deveriam ser vacinados nesta semana, devem ter paciência.

O estado de São Paulo teve que adiar o início da vacinação dessa faixa etária para 1º de março. “Não há vacina no momento”, disse o ministro da Saúde de São Paulo, Jan Gornstein.

O Brasil é um dos países mais afetados pela epidemia no mundo. Cerca de 236.000 pessoas infectadas já morreram – apenas os Estados Unidos têm mais mortes por coronavírus. O chefe de Estado da direita brasileira, Jair Bolsonaro, tem sido criticado por sua gestão da crise. A vacinação não começou no país até meados de janeiro, significativamente mais tarde do que nos EUA, Europa ou outros países latino-americanos.

READ  O futuro da soja: o colapso das importações da China do Brasil

Até o momento, o Brasil recebeu um total de 12 milhões de doses de vacinas da fabricante chinesa Sinovac e da farmacêutica sueco-britânica Astrazeneca. A primeira das duas injeções necessárias foi aplicada em mais de 4,5 milhões de brasileiros. O governo também garantiu 100 milhões de doses adicionais da vacina Sinovac e mais de 210 milhões de doses de Astrazeneca. As próximas entregas estão previstas para fevereiro e março. © afp / aerzteblatt.de

We will be happy to hear your thoughts

      Leave a reply

      Rede Piauí