Explosão de barragem no Brasil – ação contra a TÜV Süd não resolve problemas da indústria de mineração no Brasil – Notícias

Conteúdo

Em 2019, uma barragem explodiu em uma mina de minério de ferro perto da cidade de Brumadinho, matando pelo menos 260 pessoas. O desastre é hoje considerado o maior acidente industrial da história do Brasil: a lama tóxica da mineração contaminou plantas e animais e a água potável de milhares de pessoas.

O judiciário alemão está lidando com o incidente desde hoje. A empresa de testes alemã TÜV Süd confirmou a segurança e estabilidade da barragem – apenas 4 meses antes de ser quebrada. Portanto, os parentes das vítimas entraram com uma ação contra a TÜV Süd.

O advogado alemão Jan-Eric Spangenberg representa os parentes no Tribunal Regional de Munique. Ele disse à SRF News: “A empresa de testes TÜV Süd é responsável pelo acidente porque eles sabiam que a barragem não era segura o suficiente e ainda assim não tomou nenhuma providência. O grupo sabia disso porque, entre outras coisas, tinha um funcionário no Brasil que viajava regularmente de Munique para o Brasil e também participava de reuniões lá sobre a segurança da barragem ”.

A condição foi avaliada incorretamente

A subsidiária brasileira TÜV Süd inspecionou a barragem apenas quatro meses antes do desastre e disse que tudo estava estável. Sem essa certificação, as operações na mina tiveram que ser interrompidas. De acordo com o Ministério Público, o certificado foi expedido mesmo com os engenheiros da TÜV Süd cientes da instabilidade da planta. Um auditor disse ao procurador-geral que sentiu pressão da mineradora Vale.

Estas são acusações graves, a TÜV Süd declina qualquer responsabilidade. Em entrevista ao SRF News, a porta-voz Sabine Hoffmann disse: “Estamos convencidos de que a TÜV Süd não tem qualquer responsabilidade legal pelo rompimento da barragem. O operador é responsável pela mina e suas barragens associadas e é responsável por todos os danos resultantes de sua operação. “

READ  Notícias da Fórmula 1: Ralph Schumacher com previsões para o Grande Prémio de Portugal | Notícias da Fórmula 1

A próxima catástrofe aguarda

O Tribunal Regional de Munique decidiu sobre este assunto hoje. Parentes pedem indenização. Mas o remédio legal para o desastre não resolve os problemas da mineração brasileira.

Assim como a barragem foi construída em Brumadinho, ainda existem mais de 700 barragens construídas em todo o Brasil. Essas chamadas barragens a montante estão expostas a grandes riscos, entre outros, porque estão em constante aumento. O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente alertou contra a construção dessas barragens há quatro anos. Não tem permissão para ser construída no Brasil desde o final do ano passado. Mas aqueles que já foram construídos ainda estão em uso e representam um perigo.

Nesse processo em Munique, os responsáveis ​​podem ser responsabilizados. Mas ainda existe o risco de que a próxima barragem se rompa.

David Krasic

Repórter da América do Sul, SRF


Abra a caixa de pessoas
Feche a caixa da pessoa

David Karasik é correspondente da SRF na América do Sul desde o início de 2021. De 2015 a 2018, viveu e trabalhou como jornalista freelance na Colômbia e trabalhou como repórter de diversos países como Equador, Venezuela e Cuba para diversos meios de comunicação empresas – incluindo SRF, “Neue Zürcher Zeitung” e “Tages-Anzeiger”. Em seguida, trabalhou como produtor e editor na SRF 4 News. Karasik estudou ciência política na Universidade de Gavirana em Bogotá.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

Rede Piauí