Ex-presidente Lula: recurso contra revogação de sentenças

“Para manter a estabilidade processual e a segurança jurídica, as condenações devem ser mantidas e o processo deve prosseguir”, afirmou um comunicado da Procuradoria-Geral da República na sexta-feira (hora local).

Se o juiz não reconsiderar sua decisão individual, o caso deve ser decidido pela demanda, por uma comissão de cinco juízes ou pelo plenário do Supremo Tribunal Federal de Brasília. O juiz da Suprema Corte Edson Fashin transferiu o caso para uma audiência pública. Fashin deu ao advogado de Lula cinco dias para comentar.

Na segunda-feira, Fachin anulou as sentenças contra Lula sob a acusação de corrupção e lavagem de dinheiro. Este homem de 75 anos vai restaurar seus direitos políticos e, se tudo continuar igual, ele pode concorrer novamente nas eleições. No Brasil, as eleições presidenciais estão programadas para serem realizadas novamente em 2022.

Em 2018, Lula foi condenado a longas penas de prisão em segundo grau. Portanto, apesar de seu progresso nas pesquisas de opinião, ele não pôde participar das próximas eleições presidenciais. Em vez disso, o populista de direita Jair Bolsonaro mudou-se para o palácio presidencial.

O Juiz Fashin concluiu que o juízo anterior da cidade de Curitiba não era competente e encaminhou ao Judiciário da região metropolitana de Brasília. Fashin disse que as acusações contra Lula não estavam diretamente relacionadas à operação anticorrupção “Lava Gato”. Isso é focado em Curitiba. Mas o promotor vê um link para a investigação “Lava Gato”.

READ  Decepcionado com o Exynos da Samsung? O próximo vai te surpreender!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *