Diz-se que delegação brasileira nas Nações Unidas está em quarentena pela Corona

O presidente Bolsonaro não esconde que ainda não está imune. Durante a viagem para o Debate Geral da ONU, um confidente próximo testou positivo para coronavírus – com consequências.

O ministro da Saúde do Brasil, Marcelo Quiroga, fez teste positivo para coronavírus em Nova York. Foto: Wilson Dias / Agência Brasil / dpa (Foto: dpa)
(Foto: Wilson Dias / Agência Brasil / dpa)

NOVA YORK / BRASÍLIA – A delegação brasileira que viajou para o debate geral das Nações Unidas em Nova York agora está isolada depois que o ministro da Saúde deu positivo para coronavírus.

“O Estado-Membro confirmou que toda a delegação decidiu se isolar por 14 dias”, disse o porta-voz da ONU Stephane Dujarric na quarta-feira.

O ministro da Saúde, Marcelo Quiroga, participou do debate geral das Nações Unidas com o presidente Jair Bolsonaro na terça-feira e também residiu na sede das Nações Unidas no East River. Um membro da delegação havia anteriormente testado positivo. De acordo com reportagens da mídia brasileira, Bolsonaro voltou ao Brasil na quarta-feira, mas Quiroga permanece em Nova York.

E o portal de notícias “G1”, citando o palácio do governo, afirmou que Bolsonaro e outros integrantes da delegação que tiveram contato com Quiroga ficarão em quarentena pelos próximos cinco dias e depois farão um novo teste. A Autoridade de Saúde de Brasília havia recomendado uma quarentena de 14 dias para a delegação brasileira. Na quarta-feira, Bolsonaro dispensou uma data de atendimento já planejada, em vez de compartilhar um link de vídeo.

Não estava claro inicialmente quantos membros da delegação haviam deixado Nova York e até que ponto eles estavam seguindo as regras de quarentena. De acordo com suas declarações, as Nações Unidas tentaram acompanhar as comunicações dos delegados com outros diplomatas, funcionários da ONU e chefes de Estado e de governo. Não se sabia a princípio se havia outras lesões.

O populista de direita Bolsonaro minimizou o coronavírus desde o início e se manifestou repetidamente contra o uso de máscaras e outras medidas de contenção. Na terça-feira, no início do debate geral da ONU em Nova York, ele ficou alarmado com declarações sobre sua abordagem à pandemia e elogiou, por exemplo, o uso preventivo de medicamentos que não se mostraram eficazes contra o coronavírus. Bolsonaro sublinhou várias vezes que não foi vacinado contra o próprio Corona.

Mesmo antes da discussão pública, os anfitriões dos EUA expressaram preocupação de que convidados e delegados estaduais de mais de 100 países em Nova York pudessem espalhar o vírus. A cidade de Nova York também queria impor a vacinação compulsória, que o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, rejeitou, alegando que ele não podia recusar a entrada de membros não vacinados da ONU.

Quiroga, que já foi vacinado com pelo menos uma dose, tweetou fotos nos últimos dias com Bolsonaro, sua esposa Michelle e representantes de fundos de investimento, entre outros. Ele também se encontrou com o primeiro-ministro britânico Boris Johnson, que por sua vez se encontrou com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. Johnson, que foi totalmente vacinado, não arranjou nenhuma consequência direta. “Existem medidas da Covid com as quais o primeiro-ministro se comprometeu”, disse Downing Street na quarta-feira.

© dpa-infocom, dpa: 210922-99-320189 / 4

READ  Portugal aumenta requisitos de máscara para exteriores

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

Rede Piauí