Dezembro Vermelho: Florianópolis registra queda de 17% nos casos de HIV / AIDS

Dados do Ministério da Saúde indicam que a capital caiu da primeira para a quinta na taxa de detecção do vírus

O Boletim Epidemiológico da Secretaria de Saúde mostra que Florianópolis tem melhorado os índices de novos casos de HIV / AIDS. A capital ficou em primeiro lugar no índice de detecção de vírus do país entre as capitais, e este ano passou para o quinto lugar. Em termos de taxa de mortalidade, entre 2009 e 2019 Florianópolis foi a sexta capital com o menor número de óbitos por 100.000 habitantes.

Secretaria de Saúde de Florianópolis oferece teste rápido anti-HIV em todos os centros de saúde – Freepik / Disclosure / ND

O capital investido em vários tipos de tratamentos preventivos para melhorar os índices. Além dos preservativos, que são distribuídos em todas as unidades de saúde da rede do município, existem novas estratégias que compõem a prevenção comum do HIV.

Um deles é o PREP (Pre-Exposure Prevention), que consiste em um comprimido que é tomado diariamente como precaução. A PEP (profilaxia pós-exposição) é realizada após o contato com o vírus, o que impede a reprodução e a disseminação do HIV no corpo humano. A co-prevenção também inclui testes e tratamento anti-retrovirais abrangentes e fáceis de usar.

“Dessa forma, não desmontamos o atendimento e as pessoas não vão para um beco sem saída. O atendimento fica mais integrado e completo. Isso vai das situações menos arriscadas às mais perigosas”, disse o infectologista Felipe Perini.

Em todos os postos de saúde de Florianópolis e nas UPAS (Unidades de Pronto Atendimento) 24 horas, o PEP pode ser solicitado. Existe também uma oferta PREP no Centro Policlínica.

Verificações rápidas em todos os centros de saúde

READ  Lançamento do Samsung Galaxy S21: poucos ... mas mais barato !?

O Ministério da Saúde de Florianópolis oferece testes rápidos de HIV em todos os centros de saúde. A administração municipal informa que, quando necessário, os residentes devem entrar em contato com a equipe de saúde por meio do link: https://sus.floripa.br/contatoscs/ ou em qualquer um dos centros de teste de resposta rápida. Desta forma, HIV / AIDS, tratamentos ou exames podem ser identificados, por exemplo.

Números de serviço por região:

Centro (48) 99121-5517

Continente (48) 99959-3242

Em (48) 99603-4203

Norte (48) 98849-4499

Outra inovação em Florianópolis é o autoteste, sem precisar ir ao posto de saúde. Dessa forma, o cidadão precisa se cadastrar no site www.ahoraeagora.org E peça o teste pelos Correios ou seja retirado no cacifo digital do Terminal Rodoviário Rita Maria.

Só de maio a agosto deste ano foram 510 testes de HIV distribuídos no endereço que a pessoa escolheu. Daniel Pereira morou 5 anos em Florianópolis e retirou o kit da rodoviária “É mais prático do que ir ao posto de gasolina”. O jovem de 24 anos diz que, depois de feito o cadastro, recebi meu login e senha, e em 24 horas o teste já estava lá Na rodoviária para fazer o check-out. ” A Secretaria de Saúde indica que, quando o autoteste der positivo, o paciente deve procurar orientação médica na unidade de saúde.

O combate ao vírus continua um desafio para a capital

O Ministério da Saúde sabe que ainda há desafios para o combate ao vírus no município, mas está trabalhando no desenvolvimento de projetos, no diálogo com a sociedade civil e a sociedade, capacitando equipes e implementando novas técnicas para que a infecção seja mais controlada no município.

Além de combater a infecção, equipes estão trabalhando para que as pessoas que vivem com HIV vivam da melhor maneira possível com o vírus e tenham qualidade de vida. Infelizmente, os piores sintomas que as pessoas com HIV enfrentam ainda são o estigma, o preconceito e a desinformação da sociedade.

READ  Jorge Jesus: ″ O que queres que te diga, que vamos ganhar e vencer o FC Porto?

Nossa ideia é fortalecer e ampliar projetos já existentes, como Projeto Conectividade, Centros de Teste e Resposta Rápida, capacitação e atualização de profissionais, atendimento compartilhado às pessoas com HIV atendidas na atenção básica e apoio à distribuição de antirretrovirais para quem não o faz. Dá para conseguir, distribuir autoteste e prevenção articular “, concluiu o cientista de infecção Felipe Perini.

Conforme determinado pela Lei Municipal nº 10.199, de 27 de março de 2017, a Prefeitura de Florianópolis informa que a produção deste conteúdo não teve custo e que custou R $ 2.000,00 para colocá-lo neste portal.

Written By
More from Ariana Yara

Ilha de São Miguel com novas restrições a partir de hoje

O novo toque de recolher entrará em vigor na Ilha de São...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *