A Apple entrou com um processo: Esquema obsoleto ou errado?

A Apple tomou medidas em algumas gerações de smartphones que fazem com que os iPhones avancem mais cedo do que realmente deveriam? É o que afirma a organização de defesa do consumidor Deco Proteste em Portugal, que primeiro pediu, mas não obteve resposta da Apple durante três anos, e finalmente entrou com o processo.

A Apple tem experiência anterior com tais processos. Em 2017, houve um escândalo devido às baterias do iPhone e ao afogamento do processador quando as baterias eram um pouco mais velhas. Naquela época, a Apple vinha trocando as baterias dos dispositivos afetados por um tempo a um preço muito mais barato do que antes, para que os dispositivos pudessem voltar a ter seu desempenho total. Além disso, a função de análise de baterias foi alterada em versões posteriores do iOS e o status da bateria foi exibido para o usuário.

Defensores do consumidor acusam a Apple de intencionalmente baixo desempenho dos dispositivos iPhone 6, 6 Plus, 6S e 6S Plus sem informar os usuários. Então, eles tiveram que substituir a bateria ou comprar um novo smartphone. Na Itália, a Apple perdeu uma batalha jurídica com os Euroconsumers, que também inclui a organização portuguesa.

Deco Proteste quer que a Apple indenize os usuários portugueses pela troca da bateria e 10 por cento do preço de compra do iPhone. Isso deve somar € 60 no total por smartphone. Será um total de 7 milhões de euros.

READ  BenQ traz monitores de negócios para escritórios

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *