Por: Victória Ribeiro
Repórter

Sindicato denuncia geladeiras paradas por pane no IML

As geladeiras foram doadas pelo Governo Federal através da FUNVAPI

O Instituto de Medicina Legal de Teresina (IML) está com problemas nas geladeiras que ficam guardados os cadáveres, isso por que as elas estão sem funcionar. As geladeiras foram doadas pelo Governo Federal através da FUNVAPI (Fundação Vale do Piauí).

Segundo informações do Presidente do Sindicato dos Peritos do Piauí, Raimundo Andrade, no momento só estão funcionando 2 de 5 geladeiras, sendo que a demanda é ainda maior. O problema ocorre desde o segundo semestre de 2017, as geladeiras foram instaladas de forma inadequada e por conta da queda de energia, alguns equipamentos queimaram e estão de forma precária, necessitando de manutenção.

Ainda segundo ele, esse problema tem relação também com a carência no fornecimento de energia da Eletrobrás. “Havia um problema no fornecimento de energia, porque o gerador da região não era adequado para a demanda energética necessário para funcionar os equipamentos. O diretor da Pericia cientifica andou fazendo gestão junto a Eletrobrás, mas não sei se já conseguiram trocar esse gerador”, explicou o presidente.

A nossa equipe tentou entrar em contato com a Eletrobrás, mas não obteve resposta.

CONCURSO

Foi anunciado também pelo Governo do Estado um suposto concurso para perito, e que estava previsto para abrir edital até o final de 2017, mas não ocorreu. Segundo o presidente, o concurso não tem previsão para abrir edital.

“Nós temos hoje em dia um dos menores efetivos do País, nos temos núcleo apenas em Parnaíba e Picos e a sede em Teresina, para atender aos 224 municípios, e as vezes fica impossível  o deslocamento por conta da extensão territorial do nosso estado” explicou Raimundo Andrade.

Ainda segundo ele, seria necessário segundo a ONU, um perito para cada 5 mil habitantes, ou seja, o Piauí necessitaria de pelo menos 600 peritos para atender as demandas, e hoje trabalham 100 peritos.

Ele explica também que para melhor desempenho do trabalho, seriam necessário laboratórios. “O estado necessita de laboratórios, que nunca existiram aqui, Laboratórios de patologia, Laboratório de DNA que é necessário, e nos temos batido muito nessa tecla, porque o Piauí poderá ser o único estado da Federação a não ter laboratório de DNA, e no Nordeste hoje só existem o Piauí e Sergipe, a não possuir laboratório de DNA.”

EFEITOS DA FALTA DO LABORATORIO

O presidente explica que a falta desse laboratório atrapalha as investigações criminais, principalmente aos crimes de violência sexual. “Você tem a vitima, tem o vestígio ideológico que é coletado no primeiro atendimento prestado a vitima, mas não se tem um laboratório para processar o vestígio. Às vezes a vitima reconhece o agressor, ele nega, e não se tem como provar cientificamente que é aquela pessoa, por falta de um laboratório de DNA”, explicou o presidente.

Ele explicou que mesmo havendo um laboratório de DNA, que é o ACEM, ele não serve para pericia criminal, pois só são coletadas amostras puras, e amostras criminais são amostras coletadas em local de crimes, que na maioria das vezes estão sujas, e é preciso de equipamento para fazer esse trabalho especifico.

Já há um terreno que foi doado para a construção do laboratório, e um projeto feito na gestão passada para a construção do prédio, mas pelo Governo do Estado, não há nenhuma previsão para construção.

Notícias

MAIS NOTÍCIAS