Por: Pedro Henrique Santiago
Repórter

Sesapi realiza workshop sobre Hanseníase em Teresina

O objetivo do evento é capacitar pessoas que atuam na área de saúde em todo o Piauí

A Secretaria de Estado da Saúde vai promover nesta quinta-feira, 25, o Workshop Estadual de Hanseníase. O evento começa às 8h30 no auditório da Facime, em Teresina.

O objetivo do evento é capacitar secretários de saúde de municípios piauienses, profissionais, estudante de graduação, pós-graduação para o combate à doença que registrou só em 2017, 935 casos. Um aumento em relação a 2016.

Segundo dados da SESAPI, do número registrado em 2017, 67,5% - ou seja 631 casos - foram notificados já em estágio transmissível.

casos de hanseníase em Picos
Toda medicação é fornecida pelo SUS e, após o início do tratamento, o paciente não transmite mais a bactéria causadora da doença./Crédito: Internet

Num quadro de 100 mil habitantes, o estado apresenta quase 30 casos, parâmetro considerado alto. "Tanto a classificação predominante, do tipo multibacilar, e o parâmetro de detecção da doença (muito alto), chamam a atenção para a necessidade de mais envolvimento dos serviços de saúde dos municípios em estratégias para o alcance do diagnóstico precoce da doença. Com a classificação multibacilar predominante, mostra que existe focos da doença em atividade em todo o estado”, alerta a supervisora estadual de Controle de Hanseníase, Eliracema Alves.  

Eliracema enfatiza ainda que o tratamento é gratuito, além de ser realizados nos 224 municípios.  Toda medicação é fornecida pelo SUS e, após o início do tratamento, o paciente não transmite mais a bactéria causadora da doença.  

“O Piauí é um estado endêmico para hanseníase, por conta disso, nossos trabalhos são voltados ao diagnóstico precoce. O Estado desenvolve um trabalho de busca constante a novos casos para melhorar os indicadores e condições das pessoas com hanseníase”, comenta Eliracema Alves.

A DOENÇA

A hanseníase é uma doença que atinge primeiramente o sistema nervoso, em seguida, de forma tardia, as manchas. Essas manchas podem apresentar coloração amaronzada ou roséa, e não irão provocar dor. A área atingida por estas manchas perdem a sensibilidade, sendo dormentes, e, se não forem tratadas em tempo certo, precocemente, elas podem evoluir com incapacidades, deformidades.

A hanseníase tem cura. O tratamento pode ser de 6 meses a 12 meses, de acordo com o diagnóstico. O tratamento é gratuito, pelo SUS, nos 224 municípios do estado.

Programação do Workshop Estadual de Hanseníase

8h - Abertura

8h30 – Apresentação das Ações Desenvolvidas pelo Estado e Lançamento do Boletim Epidemiológico da Hanseníase do Piauí

9h10 – Avaliação do Projeto NIPPON/OPAS/Ministério da Saúde – Avanços, desafios e perspectivas

10h10 – Agenda de Recomendações para Controle e Eliminação da Hanseníase no Piauí

10h30 – Debate  

11h10 – Encerramento

Local: Auditório da Facime

Rua Olavo Bilac, 2335 – Centro – Teresina/PI

Notícias

MAIS NOTÍCIAS