Por: Thiago Andrade
Repórter

Policiais serão proibidos de entrar armados em prévias carnavalescas

A recomendação é que haja um local seguro - preferencialmente um cofre - para guardar as armas

Representantes das Corregedorias de seis instituições da Área de segurança pública estavam em um encontro na manhã desta quarta-feira (17) com organizadores de prévias carnavalescas e de outros eventos que ocorrem em Teresina para debater sobre a entrada de servidores públicos armados em festas.

A finalidade do encontro, que ocorreu no auditório do Quartel do Comando-Geral da PM do Piauí, é impedir novos crimes, como o da noite do último sábado (13), ocasião em que três pessoas foram baleadas pelo cabo do Exército Wanderson Lima Fonseca, na festa Banda Bandida, que é realizada na Rua 24 de Janeiro, no Centro da Capital.

Participaram da reunião representantes das Corregedorias da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal, da Polícia Civil, da PM e do Exército, além de um representante da Secretaria de Justiça.

Os corregedores se colocaram à disposição dos organizadores das festas para dar orientações sempre que acontecer alguma circunstância de policial ou outro agente de segurança pedindo acesso a uma festa portando arma de fogo.

O organizador da banda Bandida, Último Coelho, falou em nome dos promotores de eventos, e deu algumas sugestões para melhorar a segurança no entorno das festas.

De acordo com o coronel Alberto Menezes, coordenador-geral de Operações da Polícia Militar, uma das recomendações dadas durante o encontro é para que os organizadores dos eventos preparem um local apropriado para guardar as armas de agentes públicos que desejem entrar nas festas, porém que não estejam em serviço, fazendo alguma diligência. A indicação é que haja um local seguro - preferencialmente um cofre - para guardar as armas.

Coronel Alberto Menezes, coordenador-geral de Operações da Polícia Militar
Coronel Alberto Menezes, coordenador-geral de Operações da Polícia Militar  (Foto:PortaloDia)

Ainda ficou acertado que a Polícia Militar vai procurar trabalhar de maneira conjunta com as equipes de segurança privada contratadas pelos promotores das festas, de tal modo a conseguir resultados mais efetivos na proteção aos foliões.

"Vamos fazer os isolamentos um pouco mais afastado e tentar colocar viaturas em todos os acessos. Nós orientamos os organizadores a procurar as equipes da PM sempre que, numa revista, for identificado algum agente público armado. Isso será uma forma de esclarecer qualquer dúvida inicial, como, por exemplo, saber se essa pessoa tem ou não porte de arma e se ela pode entrar no evento com a arma.

Notícias

MAIS NOTÍCIAS