Por: Pedro Henrique Santiago
Repórter

Polícia Militar diz que não foi notificada do afastamento de PM

O comandante da Polícia Militar ainda crítica o tempo pelo o qual se demorou analisar o caso do policial

O comandante da Polícia Militar do estado do Piauí, Carlos Augusto informou que o afastamento do cargo do policial militar, Aldo Luís Barbosa Dornel, envolvido na operação que tirou a vida da garota de 9 anos, Emily, não chegou a ser notificado na corporação.

O comandante argumenta que não foi notificado da decisão e que por conta do recesso, teria que esperar seu fim para saber se a corregedoria recebeu a ordem judicial. "Eu tenho que ser notificado, alguém tem que notificar a instituição para cumprir, e nós não fomos. Não sei se a procuradoria foi. É preciso esperar o fim do recesso para tomar conhecimento melhor do caso", explica o comandante.

Segundo Carlos Augusto, os candidatos que entraram na justiça, e de alguma forma não foram aprovados em algumas das fases após a prova escrita do concurso, serão exonerados, assim como está declarado na liminar judicial."Eu encaminho para exoneração do governador desses policiais, tanto do quadro quanto da folha de pagamento", pontua o comandante.

O comandante da PM, criticou a demora no julgamento no caso do policial Aldo Luís. "No caso do policial, ele foi reprovado ainda em 2016 é só agora ele tem uma decisão para ser exonerado. Por que demorar 10 anos para tirar alguém que foi reprovado no exame psicológico", conclue.

Notícias

MAIS NOTÍCIAS