Por: Thiago Andrade
Repórter

Picos: Mulher dá à luz a bebê em uma calçada por falta de ambulância

O parto foi feito em uma calçada pelo seu próprio esposo

Na madrugada desta quarta-feira (03/01) uma mulher identificada por Ednalva Ivanilda de Moura, 22 anos, deu à luz a um bebê no meio da rua. O parto foi feito em uma calçada pelo seu próprio esposo José Wellington de Sousa, que disse que ligou para o SAMU, porém disseram que não tinha ambulância disponível para atendimento, por que estava em outra ocorrência.

José Wellington relatou que não podia aguardar a chegada da ambulância e resolveu levar sua mulher ao Hospital Regional Justino Luz (HRJL), porém a bolsa rasgou no caminho e a criança nasceu antes de chegarem ao hospital. Ele usou sua camisa para que a mulher pudesse deitar em cima, ele foi em busca de socorro para levá-los ao hospital.

O casal e a criança foram levados em uma viatura da PM, que fazia ronda no local. Ainda de acordo com José Wellington, o SAMU só chegou depois que mãe e filho já tinham sido atendidos na área pediátrica do Hospital Regional Justino Luz.

O pai da criança destacou que o momento foi desesperador, por que Ednalva Ivanilda teve uma hemorragia em seu último parto e ele teve medo que pudesse ocorrer a mesma situação com o nascimento do segundo filho.

O casal reside no bairro Bomba e tem outros dois filhos, de 6 e 1 anos. Mãe e filho passam bem, o menino irá se chamar José Wellington de Sousa Filho, em homenagem ao pai que ajudou durante seu nascimento.

O parto foi feito em uma calçada pelo seu próprio esposo José Wellington

O parto foi feito em uma calçada pelo seu próprio esposo José Wellington  (Foto:Reprodução da internet.)

O diretor Administrativo da Secretaria Municipal de Saúde, Bruno Alves Luz, afirmou que uma ambulância está quebrada e a outra estava em ocorrência no momento do acontecimento. Ele reforça que o SAMU não entrou em recesso durante o final de ano e os atendimentos estavam sendo realizados normalmente.

“Quando nós fomos entrar no recesso, nós fizemos uma escala dos profissionais para que o serviço não parasse. O SAMU é um dos serviços que não se admite que pare. E nós entramos com as duas ambulâncias funcionando, ocorre que nesse período de tempo, uma das ambulâncias, teve problema e foi levada para a oficina, mas uma ficou em funcionamento, então essa que estava na oficina, eu já tenho informações do setor de transportes que ela já está saindo e já vai voltar a funcionar”, garantiu Bruno Alves.

Notícias

MAIS NOTÍCIAS