Por: Thiago Andrade
Repórter

MPF pede condenação de ex-prefeito de Boa Hora-PI

A ausência de prestação de contas para justificar onde esses recursos foram destinados é um dos principais problemas

O Ministério Público Federal no Piauí (MPF-PI), através do procurador Tranvanvan da Silva Feitosa, entrou no dia 13 de dezembro na 3ª Vara Federal Criminal com Ação Civil de Improbidade Administrativa contra o ex-prefeito de Boa Hora, Antônio Coelho de Resende, chamado popularmente de Dr. Coelho.

O MPF solicita que o ex-prefeito seja condenado ao pagamento de R$ 1.970.253,52 milhão, por desvio de recursos públicos pela realização de saques indevidos feitos por ele e por débito resultante de não cumprir dever legal de prestar contas durante o seu mandato de 2009 a 2012.

Um documento proposto pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) mostrou que foram feitos saques no valor de R$ 3.200.072,00 milhões só em fevereiro de 2008 a maio de 2011. Sendo que Antônio Coelho foi o responsável pelo saque irregular de R$ 1.842.787,00 milhão.

ex-prefeito de Boa Hora, Antônio Coelho de ResendeEx-prefeito de Boa Hora, Antônio Coelho de Resende   (Foto:Em Foco)

 

As operações foram realizadas em contas do Banco do Brasil que tinham recursos da união vinculados ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM), ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e ao Apoio Financeiro aos Municípios (AFM). A ausência de prestação de contas para justificar onde esses recursos foram destinados é um dos principais problemas. “O desvio de recursos públicos e a ausência de prestação de contas regular demonstram a materialidade dos atos de improbidade.

Quanto à autoria do ato de desvio, observa-se que a documentação acostada aos autos individualiza o ex-gestor como o autor de vários saques irregulares. No que toca ao descumprimento do dever de presar contas, destaca-se que o requerido, enquanto gestor municipal, era pessoalmente responsável por todos os atos praticados no curso de sua gestão”, declarou o procurador Tranvanvan na ação.

Outro lado
O ex-prefeito disse que ainda não foi notificado pelo processo e que estava surpreso com o elevado valor determinado pelo MPF na ação. “Eu não estou sabendo. A prefeitura não tinha nem esses recursos. Eu realmente estou surpreso e não tenho o que falar sobre isso. Ainda não estou sabendo que processo é esse”, falou o Dr. Coelho.

Notícias

MAIS NOTÍCIAS