Por: Pedro Henrique Santiago
Repórter

Estudantes protestam contra o aumento das passagens e bloqueiam vias

O movimento #contraoaumento ocupou a Praça do Fripisa e depois encaminhou para a Avenida Frei Serafim

Estudantes universitários e secundáristas, além de movimentos de classes ocuparam as ruas do centro de Teresina para protestar contra o aumento no preço das passagens -  que pulou de R$ 3,30 o valor integral para R$ 3,60 o novo e de R$ 1,05 para R$ 1,15 o valor do passe estudantil - reajustado pelo Prefeito Firmino Filho, ontem, 08.

Estudantes protestam contra aumento

Os estudantes prometem fazer outras manifestações até que o prefeito Firmino Filho aceite conversar / Crédito: Salatiel Dias


Para a estudante Clea de Sousa, que integra  Assembléia Nacional dos Estudantes Livres (ANEL), o aumento do valor da tarifa se deu de uma forma unilateral, onde o prefeito ouviu apenas o SETUT. "A gente tá lutando contra esse valor exacerbado, que o prefeito Firmino Filho, tomou uma decisão unilateral, sem ouvir a classe que mais sofrerá com esse reajuste. Não podemos e não vamos ficar calados", disse indignada a estudante.

O movimento #contraoaumento ocupou a Praça do Fripisa e depois encaminhou para a Avenida Frei Serafim, onde interditaram as vias que intercruzam com a avenida. A Guarda Municipal e agentes da Strans tiveram que desviar o percurso dos carros. 

ESTUDANTES QUEBRAM VIDRO DE ÔNIBUS

Na quinta-feira passada, 04, estudantes se reuniram em frente à um shopping, na avenida Raul Lopes, localizado na zona leste, para manifestar contra o aumento das passagens do transporte público.

O ato contou com estudantes secundáristas ligados à sindicatos e organizações que representam os direitos dos estudantes. A manifestação fez com que um congestionamento rapidamente se formasse e a avenida Raul Lopes e ruas que interligam com ela, criasse uma longa fila de veículos.

Manifestantes quebram vidro de ônibus
Crédito: Fábio Silva

Já no fim do ato, os manifestantes paralisaram ônibus e exigiram que os motoristas abrissem as portas traseiras para que os passageiros entrassem. O motorista da linha Parque do Brasil/Shopping não permitiu e ameaçou colocar o ônibus contra os manifestantes, que por sua vez quebraram o vidro dianteiro do coletivo.

*Reportagem de Salatiel Dias com supervisão de Pedro Henrique Santiago

Notícias

MAIS NOTÍCIAS